O imperador romano ordenou que as pessoas fossem se recensear. Maria, já grávida, foi com José para Belém. Como não encontrou lugar na hospedaria ficou numa gruta. Foi ali que nasceu o Menino Jesus. Nessa noite, os anjos acordaram os pastores e cantaram, nos céus, um cântico de alegria e de paz. Maria foi mãe de uma criança que era o rosto humano de Deus.

Maria sente a alegria de ser mãe, envolve o Menino em panos, deita-o numa manjedoura e manifesta o seu amor com gestos de ternura. Ao contemplarmos o presépio podemos fixar nosso olhar sobre Maria, e constatar sua alegria. Podemos contemplar também que o Menino é uma vida nova que vem ao mundo com uma missão muito grande: anunciar o amor de Deus.

À luz do Natal, somos convidados a olhar com um grande amor para todas as crianças. Cada criança que nasce traz a notícia de que Deus ainda não se cansou de amar a todos. Cada criança que nasce é um sorriso de Deus. Daí nossa missão: amar as crianças, sobretudo as que nascem em ambientes de miséria, as não desejadas, as que passam fome de pão e de ternura. “Tudo o que fizerdes a uma criança, a mim o fazem” (Jesus Cristo).

 

Oração

Maria de Belém,

o nascimento de seu filho, o Menino Jesus,

é um apelo para estarmos atentos a todas as

crianças do mundo, portanto, ajudai-nos

a ser sensíveis às crianças que sofrem, vivem tristes,

e que têm direito a uma infância saudável e muito feliz.

Maria de Belém,

rogai por nós.

 

Fonte: Livro Maio com Maria. Pedrosa Ferreira. Edições Loyola.

Anúncios